Tweets de @padre_sandro

Imagens & Notícias

 
 

Morreu cardeal EUGÊNIO DE ARAUJO SALES

O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta, cumpre o dever de informar do falecimento de seu antecessor: o Emmo. e Revmo. Senhor Cardeal Dom Eugenio de Araujo Sales, Arcebispo Emérito desta Arquidiocese. O mais antigo cardeal da Santa Igreja morreu serenamente no final da noite de ontem, 9 de julho, celebração de Santa Paulina do Coração Agonizante, na Residência Episcopal de Nossa Senhora da Assunção, no Sumaré. Deixa-nos com os belos números de 91 anos de vida, 69 de sacerdócio, 58 de episcopado e 43 de cardinalato.

 
 

Exemplo de vida

“Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos vivos” (Salmo 26)

 

À tarde, vinha de carro pela estrada quando ouvia a intrigante notícia no Rádio sobre um casal que vivendo sob uma ponte há quatro meses encontrou R$ 20mil e devolveu todo o dinheiro para a polícia.

 

Enquanto ouvia o relato me passaram tantas coisas pela cabeça. Mas quando ouvi: “A minha mãe me ensinou que não devo roubar e se vir alguém roubando devo avisar a polícia. Se ela me assistir pela TV lá no Maranhão vai ver que o filho dela ainda é uma das pessoas honestas deste mundo”... fui atingido no coração!

 

Como não pensar em tantos que com salários altos e status social elevado vivem de falcatruas e desvios de dinheiro público. Ambição é sempre desmesurada e o limite é inexiste para quem a cultiva. Esse casal nos inspira a viver o evangelho em toda a sua radicalidade. A verdade liberdade. A honestidade não é acessório, mas item original do ser humano.

 

De fato, hoje, mais uma vez, posso cantar: “Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos vivos” (Salmo 26)

 

:: Leia a notícia http://bit.ly/McblZZ

 

 

Na foto: Rejaniel e a mulher, Sandra Regina Domingues, no 30º DP do Tatuapé após entregarem o dinheiro à PM

 
 

Terço dos homens

Na festa da Visitação de Nossa Senhora (31 de maio), encerrando o mês de Maria, o Santuário diocesano de Santa Teresinha iniciou o Grupo de Oração Terço dos Homens que, como o nome sugere, é um grupo destinado aos homens para recitar os mistérios do Rosário.

 

O manual do movimento afirma que o terço dos homens é «um movimento leigo, ligado ao Movimento apostólico de Schoenstatt, tendo como dirigente espiritual o pároco, a ele devendo obediência, e procurando se harmonizar com os demais serviços da paróquia».

 

O dia da semana escolhido, após consulta aos fieis nas missas dominicais de maio, é terça-feira, às 20h. Dos participantes até agora há expectativa de que o grupo não apenas reze, mas construa uma relação de amizade no Senhor entre todos.

 

A dinâmica do grupo é a cada terça do mês meditar um dos mistérios que compõem o rosário mariano, a saber: Gozosos (1ª semana), Dolorosos (2ª semana), Luminosos (3ª semana) e Gloriosos (4ª semana). A reunião do grupo é aberta aos interessados.

 

O pároco do Santuário, padre Sandro Rogério dos Santos, acredita que «ao redor da Virgem Maria, podemos olhar, contemplar e viver os mistérios da vida de Cristo com esse olhar puro, casto, santo e cheio de disponibilidade ao Senhor. Com Maria, não só queremos ver como queremos permanecer em Jesus e com Jesus.»

 

 

:: Oração pelo Terço dos Homens

 

Deus Pai todo poderoso, cheio de amor e misericórdia, nós vos entregamos, por intermédio da Santíssima Virgem, o Terço dos Homens em vossas mãos. Temos muitas dificuldades e necessitamos no dia a dia de uma contínua e total proteção vossa. Olhando o caminho percorrido verificamos que ela tem sido constante.

 

Queremos agradecer a vós por tantas bênçãos recebidas. Estamos conscientes da nossa grande missão, mas também da nossa fragilidade. Somos poucos operários e a messe é muito grande. E são muitos os irmãos a conquistar! Ajudai a nós, Pai de bondade neste nosso grande combate.

 

Em sinal de gratidão, nós vos oferecemos as labutas do dia a dia pelo bem de todos. Desta maneira queremos colaborar para que surja um mundo melhor. Pedimos ainda especialmente pelos que rezam diariamente com todo o amor e fidelidade para que continuem firmados em vós para o louvor e a glória da Santíssima Trindade. Amém.

 

( Rezar 3 Glória ao Pai )

 
 

46º Dia Mundial das Comunicações Sociais

«Silêncio e Palavra: caminho de evangelização»

 

 

 

“... Estes meios de comunicação (meios de comunicação social), de fato, destinados pela sua natureza a espalhar o pensamento, a palavra, a imagem, a informação e a publicidade, enquanto influenciam a opinião pública e, consequentemente, o modo de pensar e agir de cada indivíduo e dos grupos sociais, exercem também uma pressão sobre os espíritos, que incide profundamente sobre a mentalidade e sobre a consciência do homem, impelido como ele é, e quase submerso, por muitas e contrastantes solicitações”. Estas são palavras do Papa Paulo VI na mensagem para a primeira comemoração do Dia Mundial, instituído no Concílio Vaticano II em 1967, pelo Decreto Inter Mirifica (18).

O Dia Mundial das Comunicações é uma ocasião propícia para comemorar o bem que a Igreja e a sociedade realiza com a comunicação; para motivar e incentivar novas iniciativas, novos grupos e novas reflexões; para conscientizar sobre a necessidade de inserir-se na nova cultura da comunicação e propor o Evangelho a essa nova realidade.

Por todo o país acontecem inúmeras iniciativas, em geral coordenadas pela PASCOM, que procura trabalhar o sentido de evangelizar as ações comunicativas da Igreja e incentivar os profissionais da área a buscarem constantemente os “sentidos da comunicação”.

Para 2012, o Papa Bento XVI escolheu o tema Silêncio e Palavra: caminho de evangelização. Segundo o Conselho Pontifício para as Comunicações Sociais, “não há nenhum dualismo, mas complementaridade das duas funções que, em um adequado equilíbrio, enriquecem o valor da comunicação e a convertem em um elemento essencial do serviço à nova evangelização”. Para o Papa Bento XVI, “o silêncio não representa somente certo contrapeso em uma sociedade marcada pelo contínuo e incessante fluxo comunicativo, mas é um elemento essencial para a sua integração”, diz o comunicado, e acrescenta: “O silêncio é o primeiro passo para acolher a palavra, precisamente porque favorece o discernimento e o aprofundamento”.

Leia a íntegra da Mensagem do Santo Padre o Papa Bento XVI no link http://bit.ly/Lnqt5X

 

 
 

pela vida, sempre!

Doença tem solução

 

Quão difícil é defender a vida, quando os argumentos científicos ou jurídicos não importam. De que adianta mostrar que é mais eficaz e justo, além de menos traumático e contundente, promover uma campanha de prevenção à anencefalia pelo uso do ácido fólico pela mulher grávida durante a gestação, evitando a má formação da calota craniana e protegendo o desenvolvimento normal do cérebro, se o intuito de abrir as portas para a descriminalização do aborto é patente e atropela qualquer proposta mais saudável? Anencefalia não é ausência de vida neurológica, mas corrosão paulatina do cérebro em formação, maior ou menor, pela ação do líquido amniótico em face de defeito no fechamento do tubo neural, evitável pelo consumo antes e durante a gestação, das vitaminas B9 ou M, hidrossolúveis, e encontráveis no feijão, espinafre, brócolis, abacate, cenoura, couve, carne, laranja, maça, milho, leite e queijo.

 

Se é possível prevenir, por que tanto empenho em garantir o aborto da criança com essa deficiência? É, realmente, difícil, diante da pressão midiática, esgrimir a Constituição ou o Pacto de São José, ratificado pelo Brasil, que garantem o direito à vida desde a concepção, bem como a prioridade desse direito fundamental, como condição de existência dos demais, se a retórica da indignidade de uma vida assim e do sofrimento desnecessário de uma gestação nessas condições é o que prevalece, augurando uma sociedade hedonista e eugênica.

 

No entanto, pensando melhor, é, na verdade, fácil defender a vida, sabendo que mais de 70% da população brasileira, segundo as últimas pesquisas, são a favor da vida e contra o aborto. É mais fácil defender a vida sabendo que, na mulher, o instinto da maternidade é fortíssimo e o amor ao filho, com as limitações e defeitos que tiver, sobrepassa as condições de beleza e perfeição, sendo tanto maior quanto mais carente se mostrar o filho.

 

É, enfim, fácil defender a vida ao lembrar do Rafael, filho anencefálico de meus amigos Paulo e Márcia, que viveu meia hora, foi batizado e é por nós lembrado com afeto, como um dom de Deus, numa gestação normal, sem o trauma e os efeitos colaterais do aborto. Fica ainda mais fácil defender a vida, por sua beleza inata, ao olhar para a foto que tenho na estante, de minha sobrinha Daniela, de 3 anos, com síndrome de Down, encantadora em seu modo de ser diferente e feliz.

 

Talvez os que defendam com tanta veemência o aborto, em nome da liberdade, da saúde e do sexo sem gravames, não tenham ainda descoberto que, por trás do sofrimento que possamos ter num momento, a felicidade da aceitação da vida como ela é, como um dom, traga embutido um segredo. O segredo descoberto pelo pai do menino cego do filme iraniano “A cor do Paraíso”: só a sua cegueira espiritual não permitia perceber a alegria do filho com sua cegueira visual.

 

Quem sabe ainda seja tempo de salvar, perante o Supremo, não só as crianças anencefálicas, mas todas as crianças que, no futuro, por defeituosas ou indesejadas, corram o risco de serem descartadas em nome da lei. Quem sabe ainda haja tempo de se descobrir, como o poeta, que, em qualquer condição, a vida é bonita, é bonita e é bonita.

 

TEMA EM DISCUSSÃO: Descriminalização do aborto em casos de anencefalia do feto / OUTRA OPINIÃO - IVES GANDRA MARTINS FILHO é ministro do TST e professor de Filosofia do Direito do IDP. / Jornal O GLOBO - Publicado: 11/04/12 - 5h00

 

 

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/opiniao/doenca-tem-solucao-4609940#ixzz1rpKamwwV © 1996 - 2012. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

 
 

pela vida, sempre!

“Não podemos ser a favor da vida só em partes”

 

[...] O direito à vida é um direito fundamentado na natureza, na essência do homem. É independente de religião, de credo. Não é só a Igreja que defende vida desde o começo, mas qualquer pessoa deve defender essa vida. A vida é sempre dom gratuito, o primeiro e maior dos direitos humanos e sobre o qual os outros direitos se fundamentam. Esse direito maior deve ser acolhido sem pré-condições. O verdadeiro amor consiste em doar-se sem reservas, é fundamental termos isso bem claro. Não podemos ser a favor da vida só em partes. Temos que ser a favor completamente: ou somos a favor ou contra, não há meio termo.

 

[...] O direito à vida está garantido de forma muito clara pela Constituição do Brasil no seu artigo 5º, que fala da inviolabilidade do direito à vida.

 

[...] Nem tudo que é legal é ético, é moral, é justo. Portanto, o fato de alguém não ser penalizado por uma eventual decisão do STF não exime ninguém da responsabilidade e dever de seguir sua consciência moral, guiada pela reta razão. Mesmo quem não tem fé, não é religioso, deve seguir sua consciência moral, guiada pela reta razão, porque o direito à vida é um direito natural, que decorre da natureza mesmo, da essência do homem.

 

[...] Nessa Celebração Eucarística e na Adoração ao Santíssimo Sacramento, queremos rezar, atendendo a um pedido da CNBB, por todos que cuidam e zelam pela vida humana, desde o seu início no ventre materno, e a defendem e promovem até o seu fim natural. Queremos rezar de modo especial pelas mães e pais que geram e acolhem a vida de seus filhos, com amor capaz de suportar tudo, convencidos de que a vida é dom e graça, e está nas mãos do Senhor Deus, e não nas mãos de qualquer outro poder terreno

 

Parte da homilia do Cardeal Dom Raymundo Damasceno Assis, presidente da CNBB – na Missa e Vigília pela Vida, celebradas no Santuário Nacional de Aparecida na quinta-feira, 12 de abril de 2012.

 

 
 

mensagem pascal

Ressurreição: Vida Nova

 

Páscoa é ressurreição...

E ressurreição é:

Passagem... Mudança... Renascer...

Passar é sair do lugar, da rotina...

Mudar é transformar...

Trocar uma vida gasta e empoeirada por um modo de ser e de viver...

Renascer é um recomeçar...

É “ser de novo”

De aniquilar a rotina e de recomeçar...

Por isso seja de novo...

Recomece!

Agora é o tempo e a hora...

 

Feliz recomeçar! Feliz libertar-se! Feliz Páscoa!

 
 

Alerta pela VIDA

Dom João Carlos Petrini fala do julgamento no STF de ação que descriminaliza o aborto de anencéfalos

 

 

O presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e Família da CNBB, dom João Carlos Petrini, bispo de Camaçari (BA), concedeu, recentemente, uma entrevista ao jornal “O São Paulo”, na qual fala sobre a ação de despenalização do aborto de anencéfalos, que o Supremo Tribunal Federal (STF) julgará no próximo dia 11, em Brasília (DF).

 

Segundo dom Petrini, o nascimento de uma criança portadora de anencefalia é um “drama” para a família e, especialmente para a mãe, mas afirma não ser justo não considerar o direito de nascer dessa criança. “É justo pensar a formas de ajuda, de apoio, de manifestação de solidariedade com a mãe para que ela não se sinta sozinha para enfrentar esse drama. Persuadi-la que o melhor é abortar o seu filho, revestindo de legalidade o ato de eliminar o filho-problema não é a melhor resposta, não usa plenamente a razão porque não leva em consideração todos os fatores presentes: Não considera o drama que acompanhará aquela mulher pela incapacidade de acolher o seu bebê e pela decisão de expulsá-lo de seu ventre. Não considera o direito do filho a nascer. A objeção de que é destinado a morrer em breve tempo não procede. Por acaso há alguém que nasce e não tem como última meta a morte? Podendo prever a morte daqueles que não chegam à maturidade, iríamos eliminá-los também? Quem pode determinar o prazo mínimo para que uma vida humana seja acolhida?”, disse dom Petrini.

 

Perguntando se uma eventual despenalização do aborto de anencéfalos, por parte do STF, poderia abrir precedentes para outras flexibilizações do aborto, dom João Carlos Petrini afirmou que alguns princípios constituem como “colunas” que sustentam a vida social. “Uma vida inocente não pode ser negociada no mercado, nem nos parlamentos e nem nos tribunais. Abrindo exceção a esse princípio, abre-se uma brecha não só na lei e na prática do aborto, mas na consciência das pessoas: entende-se que uma vida que traz problemas pode ser eliminada. Uma lei ou a sentença de um Tribunal não só regulamenta um tema problemático, mas tem um extraordinário poder de formar a consciência coletiva. A recente difusão da violência no Brasil está certamente associada a estas brechas”, destacou.

 

“A Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família espera dos cristãos uma postura mais clara e explícita de valorização da vida humana desde a concepção até a morte natural, dando testemunho que os possíveis dramas, quando abraçados com amor, tornam-se fonte de maturidade, riqueza humana extraordinária. Não fugir do drama, mas abraçá-lo é o caminho de uma dignidade e de uma grandeza humanas sem comparação. Esta postura, na contramão da cultura da banalidade hoje dominante que desvaloriza tudo, inclusive uma vida humana em formação no ventre materno, pode documentar que a morte não é solução, e que maior que a morte é o amor de Cristo que a venceu. Disso nós somos testemunhas”, finalizou dom Petrini, deixando uma mensagem aos cristãos.

 
 

Papa: “O sacerdote nunca pertence a si mesmo”

 

Cidade do Vaticano (RV) - Bento XVI presidiu na manhã desta quinta-feira a Missa do Crisma, na Basílica de São Pedro, durante a qual consagrou os óleos dos catecúmenos, da unção dos enfermos e o do crisma. No primeiro evento do calendário da Páscoa, os cerca de 1600 cardeais, bispos, párocos romanos, sacerdotes diocesanos e religiosos renovaram suas promessas sacerdotais.

 

Inspirando-se na narração de João, o Papa introduziu sua homilia perguntando-se: “Somos realmente consagrados na realidade da nossa vida? Atuamos a partir de Deus e em comunhão com Jesus Cristo?”. E prosseguiu centrando-se na “situação algumas vezes dramática da Igreja de hoje” e citando de modo especial “um país europeu em que um grupo de sacerdotes publicou um apelo à desobediência”.

 

Bento XVI disse saber que este grupo pede que “sejam ignoradas algumas decisões definitivas do Magistério, como, por exemplo, a Ordenação das mulheres”, questão “a propósito da qual o Beato Papa João Paulo II declarou de maneira irrevogável que a Igreja não recebeu, da parte do Senhor, qualquer autorização para fazê-lo”. “Será a desobediência um caminho para renovar a Igreja?” – interrogou.

 

Bento XVI chamou a atenção também para o problema do analfabetismo religioso típico dos nossos tempos: “Os elementos fundamentais da fé, que no passado toda e qualquer criança sabia, são cada vez menos conhecidos. Mas, para se poder viver e amar a nossa fé, para se poder amar a Deus e, consequentemente, tornar-se capaz de ouvi-lo corretamente, devemos saber aquilo que Deus nos disse; a nossa razão e o nosso coração devem ser tocados pela sua palavra”. “O Ano da Fé, a comemoração da abertura do Concílio Vaticano II há 50 anos, - prosseguiu o Papa – devem ser uma ocasião para anunciarmos a mensagem da fé com novo zelo e nova alegria”.

 

Outro esclarecimento feito pelo Pontífice na homilia foi o fato que “em alguns ambientes, o termo «alma» é considerado como palavra proibida, porque exprimiria um dualismo entre corpo e alma, cometendo o erro de dividir o homem”. “Certamente – explicou – o homem é uma unidade, destinada com corpo e alma à eternidade. Mas isso não pode significar que já não temos uma alma, um princípio constitutivo que garante a unidade do homem durante a sua vida e para além da sua morte terrena”.

 

Como sacerdotes, preocupamo-nos naturalmente com o homem inteiro, incluindo as suas necessidades físicas: com os famintos, os doentes e os sem-abrigo; contudo, não nos preocupamos apenas com o corpo, mas também com as necessidades da alma do homem: com as pessoas que sofrem devido à violação do direito ou por um amor desfeito; com as pessoas que, relativamente à verdade, se encontram na escuridão; que sofrem por falta de verdade e de amor. Preocupamo-nos com a salvação dos homens em corpo e alma. E, enquanto sacerdotes de Jesus Cristo, o fazemos com zelo” – frisou.

 

Bento XVI terminou a homilia lembrando que “as pessoas não devem ter a sensação que após cumprir nosso horário de trabalho pertencemo-nos apenas a nós mesmos. Um sacerdote nunca pertence a si mesmo”. E pediu ao Senhor que “nos encha com a alegria da sua mensagem, a fim que possamos servir, com jubiloso zelo, a sua verdade e o seu amor”. (Rádio Vaticano)

 
 

um por todos...

 

« convém que morra um só homem pelo povo »

( João 11,50 )

 
 

nota de esclarecimento

• Dentre as atribuições que a Igreja me delega está coordenar o Setor Diocesano de Comunicação. Neste âmbito, procuramos dar visibilidade das boas iniciativas da Igreja e ao mesmo tempo estar à disposição da imprensa e de outros meios de comunicação para dirimir dúvidas ou encaminhar pautas e outras matérias. Faz alguns dias, a paróquia São Francisco de Assis foi citada em matéria pouco abonadora na qual se acusa uma instituição educacional de desvios e outras malversações. Abaixo, reproduzo a nota de esclarecimento da paróquia, embora com algum atraso.

 

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

A PARÓQUIA SÃO FRANCISCO DE ASSIS DE PRESIDENTE PRUDENTE vem por meio desta nota - ESCLARECER - que ficou surpresa com as notícias vinculadas na imprensa escrita – FOLHA DE SÃO PAULO (Caderno Cotidiano, Página C3), publicado em 17 de março de 2012, bem como no jornal de circulação local: OESTE NOTÍCIAS (Folha 1.8) que reproduziu na integra a matéria da Folha de São Paulo em sua edição de domingo, dia 18 de março de 2012, sobre o recebimento do DÍZIMO da FACULDADE UNIESP DE PRESIDENTE PRUDENTE, haja vista que jamais recebeu qualquer quantia a título de DÍZIMO ou algum RECURSO FINANCEIRO.

 

O compromisso de parceria que temos com a UNIESP, é tão somente com os alunos do projeto social Universitário Cidadão, que recebem direto da UNIESP descontos em suas mensalidades no percentual de 30% e 50%, em contrapartida com o trabalho voluntário.

 

Desta forma a Paróquia São Francisco de Assis, abre o seu Centro Social para que os alunos possam ampliar seus conhecimentos acadêmicos, desenvolvendo suas habilidades e atitudes para a construção de seu perfil profissional, se fazendo, portanto, um campo fértil e continuo de aprendizagem conjuntamente com a comunidade.

As declarações dos ALUNOS e da própria UNIESP, cuja, estamos aguardando autorização da direção (UNIESP) para publicação, que provam o mencionado acima, ONDE TRAZ A VERDADE QUE JAMAIS A PARÓQUIA SÃO FRANCISCO DE ASSIS DE PRESIDENTE PRUDENTE, recebeu qualquer numerário a titulo de DÍZIMO ou a qualquer outro TÍTULO FINANCEIRO.

 

 

Presidente Prudente, 21 de março de 2012

 

Paróquia São Francisco de Assis

» Avenida Juscelino K. de Oliveira, 2042 – Jardim Everest – Presidente Prudente (SP)

Telefone (18) 3906-1554 • site www.saofranciscodeassis.org.br

 
 

DIA DA MULHER E GRUPO DE MULHERES

 

 

HOJE é o Dia Internacional da Mulher porque em 8 de março de 1857, 129 operárias de uma fábrica têxtil de Nova York entraram em greve. Reivindicavam salário igual ao dos homens e redução da jornada de trabalho, então de até 16 horas diárias. Os patrões trancaram as operárias e incendiaram a fábrica. Todas as grevistas morreram queimadas. Em 1910, o I Congresso Internacional das Mulheres, na Dinamarca, escolheu o dia 8 de março como o Dia da Mulher.

• Quais as causas que a "mulher" defende nos dias atuais? O feminismo tal como se apresenta corresponde aos verdadeiros anseios da mulher?

• Que a Virgem Maria, mulher forte do evangelho, inspire escuta, obediência, fidelidade e docilidade ao Senhor. As mulheres sejam portadoras da vida tal qual foi a Santíssima Mãe de Nosso Senhor.

Parabéns, mulher!

 

 

» Nesta quinta-feira, 8 de março, dia internacional da Mulher, o Santuário Santa Teresinha oferece um novo serviço pastoral: o «Grupo de Mulheres acima dos 40 anos» (solteira, casada, viúva, divorciada).  Um lugar para interagir, falar da realidade vivida, fazer amigos, brincar, cantar... Se você pode participar, participe. Às 17h30, no centro catequético Edith Stein. (Ligue 18-3907-2253).

A principal colaboradora do Grupo de Mulheres acima dos 40 anos será Marluy Nogueira (fisioterapeuta, acupunturista, psicoterapeuta). Para Marluy, este grupo “com certeza vai ser um ponto de encontro em uma época muito importante em nossas vidas... Época em que precisamos reencantar a vida, descobrindo um novo sentido, vivendo a verdadeira essência do amor e da partilha... Contem comigo, pois darei e farei o melhor que puder e, com muito amor, pois como Jesus adoro esta parceria de "gente se envolvendo com gente!!!”

 

» Que tal ACENDER UMA VELA em intenção ao dia das mulheres? Celebraremos missa no Santuário Santa Teresinha, hoje, às 19h30. Acesse o site e acenda a sua vela virtual: www.santuariosantateresinha.iparoquia.com

 
 

Mensagem do Papa para a Quaresma 2012

“Prestemos atenção uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras”

 

A Quaresma teve início na quarta-feira de Cinzas, em 22 de fevereiro. Será concluída na quinta-feira da semana santa antes da celebração da Ceia do Senhor. O tema da Mensagem do Papa Bento XVI para a Quaresma foi tirado da Carta aos Hebreus, «Prestemos atenção uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e às boas obras» (Hb 10, 24). Conforme o Papa, este período é propício para renovarmos, com a ajuda da Palavra de Deus e dos sacramentos, o nosso caminho pessoal e comunitário de fé: "Trata-se de um percurso marcado pela oração e a partilha, pelo silêncio e o jejum, com a esperança de viver a alegria pascal".

 

• O primeiro ponto da Mensagem é a responsabilidade pelos irmãos. Como já dizia Paulo VI, o mundo atual sofre sobretudo de falta de fraternidade. "A responsabilidade pelo próximo significa querer e favorecer o bem do outro, desejando que também ele se abra à lógica do bem; interessar-se pelo irmão quer dizer abrir os olhos às suas necessidades."

 

• O segundo ponto é o dom da reciprocidade. "Uma sociedade como a atual pode tornar-se surda quer aos sofrimentos físicos, quer às exigências espirituais e morais da vida. Não deve ser assim na comunidade cristã! Os discípulos do Senhor vivem numa comunhão que os liga uns aos outros como membros de um só corpo. Isto significa que o outro me pertence: a sua vida, a sua salvação têm a ver com a minha vida e a minha salvação", escreve o Pontífice.

 

• O terceiro e último ponto é o caminhar juntos na santidade. A atenção recíproca tem como finalidade estimular-se, mutuamente, a um amor efetivo sempre maior. "Os mestres espirituais lembram que, na vida de fé, quem não avança, recua", assinala o Papa, citando o Beato João Paulo II.

 

Por fim, reproduzimos a saudação do Papa Bento XVI em língua portuguesa na quarta-feira de cinzas durante audiência geral na Sala Paulo VI, no Vaticano: «Nos próximos quarenta dias, que nos levarão até ao Tríduo Pascal – celebração da paixão, morte e ressurreição de Cristo –, somos convidados a viver um caminho de conversão e renovação espiritual, que nos faça sair de nós mesmos para ir ao encontro do Senhor. Este período será um tempo propício para uma experiência mais profunda de Deus, que torne forte o espírito, confirme a fé, alimente a esperança e anime a caridade. Poderemos assim ver e recordar tudo aquilo que Ele fez por nós. Daí concluiremos que só o Senhor nos merece; e, sem mais adiamentos nem hesitações, entregar-nos-emos nas suas mãos. E Cristo tornar-nos-á participantes da vitória sobre o pecado e a morte, que Ele nos alcançou com o seu amor levado até ao extremo da imolação por nós na cruz. Seguindo o caminho da cruz com Jesus, ser-nos-á aberto o mundo luminoso de Deus, o mundo da luz, da verdade e da alegria. Inundados por esta luz, ganharemos nova coragem para aceitar, com fé e paciência, todas as dificuldades, aflições e provações da vida, sabendo que, das trevas, o Senhor fará surgir a alvorada nova da ressurreição... A Virgem Maria tome cada um pela mão e vos acompanhe durante os próximos quarenta dias que servem para vos conformar ao Senhor ressuscitado. A todos desejo uma boa e frutuosa Quaresma!»

 

 
 

Papa na Audiência Geral: Quaresma, tempo para uma experiência mais profunda de Deus

 

Cidade do Vaticano (RV) – Nesta Quarta-feira de Cinzas, Bento XVI dedicou sua catequese na Audiência Geral à Quaresma. Recebendo peregrinos e fiéis na Sala Paulo VI, o Papa recordou que a Quaresma é um itinerário de renovação espiritual marcado pelo significado simbólico que a Escritura dá ao número 40, ou seja: uma paciente perseverança, uma grande prova, um tempo suficiente para ver a obra de Deus, e um tempo também para assumir nossa própria responsabilidade. Toda a Escritura está repleta de exemplos, entre eles, o Povo de Israel, que caminha pelo deserto por 40 anos. Durante este tempo, percebe a amorosa presença de Deus, que o guia; porém, ao mesmo tempo vive uma experiência de pecado que o leva a construir ídolos, murmurar contra Deus e desejar a escravidão pagã. Jesus revive esta experiência sofrendo também no deserto a insídia do demônio, que o quer desviar de sua missão. Porém, ao contrário do povo de Israel, Ele o vence com a força da Palavra de Deus, que o nutre, ensinando-nos assim a enfrentar as dificuldades com valentia e paciência, e a depositar a nossa confiança Nele, seguindo-o no caminho da Cruz que leva à luz e à alegria verdadeira.

 

Eis a síntese que Bento XVI fez de sua catequese em português:  

 

Queridos irmãos e irmãs,

Nos próximos quarenta dias, que nos levarão até ao Tríduo Pascal – celebração da paixão, morte e ressurreição de Cristo –, somos convidados a viver um caminho de conversão e renovação espiritual, que nos faça sair de nós mesmos para ir ao encontro do Senhor. Este período será um tempo propício para uma experiência mais profunda de Deus, que torne forte o espírito, confirme a fé, alimente a esperança e anime a caridade. Poderemos assim ver e recordar tudo aquilo que Ele fez por nós. Daí concluiremos que só o Senhor nos merece; e, sem mais adiamentos nem hesitações, entregar-nos-emos nas suas mãos. E Cristo tornar-nos-á participantes da vitória sobre o pecado e a morte, que Ele nos alcançou com o seu amor levado até ao extremo da imolação por nós na cruz. Seguindo o caminho da cruz com Jesus, ser-nos-á aberto o mundo luminoso de Deus, o mundo da luz, da verdade e da alegria. Inundados por esta luz, ganharemos nova coragem para aceitar, com fé e paciência, todas as dificuldades, aflições e provações da vida, sabendo que, das trevas, o Senhor fará surgir a alvorada nova da ressurreição. A minha saudação amiga para o grupo escolar da Lourinhã e todos os peregrinos presentes de língua portuguesa. A Virgem Maria tome cada um pela mão e vos acompanhe durante os próximos quarenta dias que servem para vos conformar ao Senhor ressuscitado. A todos desejo uma boa e frutuosa Quaresma!

(BF)

 
 

Sagrada Face

“Oh! Sagrada Face de Jesus, compadecei-vos de nós e do mundo inteiro.”

[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, PRESIDENTE PRUDENTE, Piquerobi, Homem, de 26 a 35 anose-mail - sandrogerio@bol.com.br

 
Visitante número:



  Free counter and web stats
UOL